Fuller House e a transgeracionalidade

08:24:00

Quem ai nunca chegou na ultima temporada de uma série e ficou na torcida pra que fizessem uma temporada sobre  como estariam os personagens depois de um certo tempo? Confesso que ainda estou aguardando o momento que isso ocorrerá com "Friends", mas enquanto isso não ocorre vou acompanhando  "Fuller House".



A série é a continuação de "Full House" ou "Três é de mais" que se passa 29 anos depois. Nesta segunda fase da história, senti que os modelos apenas se repetem. Primeiro vi uma infantilidade por parte dos adultos, como brigas infantis na casa, não conseguiam tomar decisões e aparentemente não tinham um adulto, para mim pareciam todos crianças forçados a aprender com os erros e acertos de suas ações.



A série, também possui o mesmo fundo que a primeira, porém agora repetindo-se com a outra geração, onde uma das filhas se vê sozinha, e insegura para criar os três filhos. Então começa a morar com sua irmã, que como irmã do meio, sempre tentou fazer coisas para ser notada pelo restante da família e uma amiga que não era muito olhada por sua família também, pois afinal, durante as sete temporadas de "Full House" vivia na casa dos Tanner, sem que sua família parecesse sem importar. Então podemos pensar o que faz com que essas três mulheres se unam? 




Como na primeira versão de "Full House" os conflitos que essas três mulheres possuem são parecidos com o que a geração anterior possuía. Mostrando o quanto os modelos que possuímos sem repetem de geração a geração, e é claro que se ao longo da "temporada" esses modelos não forem identificados para se tentar fazer uma modificação serão também repetidos pelos filhos ( então podemos esperar uma terceira fase da série =P ). 


Enfim, por mais que o seriado seja até um pouco clichê, traz uma temática bem interessante, como as diferentes configurações de famílias, perdas que temos em nossas vidas e criação dos filhos ( que conversaremos em algum momento aqui). Além de lembrar um pouco da infância, pois a série segue o estilo tradicional das sitcoms

Leia também

0 comentários